Dolo Eventual

David Afonso
[Porto]
Pedro Santos Cardoso
[Aveiro/Viseu]
José Raposo
[Lisboa]
Graça Bandola Cardoso
[Aveiro]


Se a realização de uma tempestade for por nós representada como consequência possí­vel dos nossos textos,
conformar-nos-emos com aquela realização.


odoloeventual@gmail.com


Para uma leitura facilitada, consulte o blogue Grandes Dramas Judiciários

Visite o nosso blogue metafísico: Sísifo e o trabalho sem esperança

O Dolo Eventual convida todos os seus leitores ao envio de fotografias de rotundas de todos os pontos do país, com referência, se possível, à sua localização (freguesia, concelho, distrito), autoria da foto e quaisquer dados adicionais para rotundas@gmail.com


Para uma leitura facilitada, consulte o blogue As Mais Belas Rotundas de Portugal


Powered by Blogger


Acompanhe diariamente o Dolo Eventual

sábado, abril 25, 2009

O Estado a que chegámos

Comments on "O Estado a que chegámos"

 

Blogger David Afonso said ... (abril 26, 2009 2:55 da manhã) : 

É bom estar em casa, não é?
Tens aí uma boa questão: Como é possível uma revolução sem julgamento dos crimes do regime deposto?! Às tantas "revolução" é um termo demasiado vasto para expressar o que realmente aconteceu.

Fox, abraço!

 

post a comment

Links to "O Estado a que chegámos"

Criar uma hiperligação